segunda-feira, 24 de março de 2008

Alentejo

23032008039

Quem cantar o Alentejo
Tem-no já dentro da alma,
Que a tristeza não se inventa,
É como a fúria e a calma.

Loiras terras da planície
rasas na onda e na cor,
Quem cantar o Alentejo
Ou lhe tem ódio ou amor.

Sol a pino, mágoa roxa
Nos poentes. E o verde? e os pinhais?
Ai terras do Alentejo
De vós fogem meus olhos vegetais.

Gente triste, gestos moles,
de vós fujo, solidão,
Mas os ventos que me levam
Aqui deixam esta canção.

 

Fernando Namora

Fotografia: Minha

5 comentários:

peciscas disse...

Conforme disse no post sonoro que publiquei no fim de semana, gosto muito do Alentejo e das suas gentes.
Quase nasci lá. Vivi em Évora parte da minha infância. E fiquei, para sempre "agarrado" ao sol , ás planícies, à imensidão das terras.

Vieira Calado disse...

Alentejo!
Dá sempre vontade de cantar o Alentejo, as suas planuras, a gente inconfundível... a solidão dos ares...
Um abraço.

Ludo Rex disse...

Eu tenho dois amores. Amo o Alentejo, que me acarinhou académica e profissionalmente, assim como o meu Algarve que me viu nascer... O Alentejo está agora com cores lindas...
Kiss e Boa Semana

Sophiamar disse...

Eu sou como o Ludo. Tenho dois amores. O Algarve que me viu nascer e o Alentejo onde passei muitas vezes férias. Conheço-o bem de uma ponta à outra. Gosto do alentejo e dos alentejanos que me acolhem como se fosse sua familiar.

Beijinhossss

LopesCa disse...

Junto-me ao clube que adora o Alentejo :)