domingo, 30 de março de 2008

Exílio

5595034-lg

Quando a pátria que temos não a temos
Perdida por silêncio e por renúncia
Até a voz do mar se torna exílio
E a luz que nos rodeia é como grades

Sophia de Mello Breyner Andresen

Fotografia: Net

8 comentários:

Sophiamar disse...

Sophia a minha grande paix�o na poesia e na vida exemplar que levou. Uma MULHER que , para mim, e com certeza para muitas mais � uma refer�ncia.
E numa p�tria que maltrata os seus filhos, a solu�o � o Ex�lio.

Beijinhosssss

Isabel-F. disse...

sem dúvida...


belas palavras de Sophia.

Bjs e boa semana

Mocho-Real disse...

Bonita imagem e mais uma verdade dura mas inquestionável da Sophia de Mello Breyner.

Um abraçoe uma boa semana de trabalho.

Jorge P.G.

LopesCa disse...

Sophia de Mello Breyner
Grande poetisa :)

Isabel-F. disse...

Olá Bom dia.

Quando puderes passa no meu Blog.
OK?
Tenho lá numa coisa para ti.

beijinhos

Carla disse...

inundei-me de luz com esta foto, senti a dor do exília nas palavras de Sophia
bjs e obrigada

Paradoxo disse...

Uma mulher em poesia,sem dúvida, Ana!

A. João Soares disse...

Anamarta,
Vim para agradecer o comentário de solidariedade para com o coronel Alves de Fraga e tive a agradável surpresa de encontrar um belo blog com poesia bem escolhida.
Este exílio da Pátria que obriga ao silêncio está mesmo a calhar com o tema do post que visitou e comentou. A Pátria nem sempre sabe merecer os bons filhos que tem.
Abraço
A. João Soares, serve de link