domingo, 20 de abril de 2008

Liberdade

Ser livre é querer ir e ter um rumo

e ir sem medo, mesmo que sejam vãos os passos.

É pensar e logo

transformar o fumo

do pensamento em braços.

É não ter pão nem vinho,

só ver portas fechadas e pessoas hostis

e arrancar teimosamente do caminho

sonhos de sol

como fúrias de raíz.

É estar atado, amordaçado, em sangue, exausto

e, mesmo assim

só de pensar        gritar

gritar

e só de pensar ir

ir e chegar ao fim

 

Armindo Rodrigues (1904-1993) in "De Palavra em Punho"

Fotografia: Net

12 comentários:

Isabel-F. disse...

um belo poema ...


gostei de o ler...


bjs e boa semana

Carminda Pinho disse...

É querer ir e ter um rumo...
E nós queremos ir...

Beijos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá cara amiga, belo poema, bela imagem !
Beijos

Ludo Rex disse...

Belo poema. Amiga, Ser livre é querer ir e ter um rumo e ir sem medo, mesmo que sejam vãos os passos...
Sempre em Liberdade!
Kiss Boa Semana

peciscas disse...

Há muitos anos, por escrever esta palavra tão simples, num muro da cidade, às quatro da madrugada, arriscava a minha própria liberdade.
Mas, apesar de tudo, valeu a pena!
Ainda que pesem muito as desilusões actuais.

Jorge P.G Sineiro disse...

Médico, tradutor de Malraux e Wilde entre outros, e um poeta de fina irona e de combate.
Homem dos tempos em que os ideias se não vendiam nem trocavam por um punhado de dinheiro.
Esteve com Norton de Matos, foi membro do M.U.D., enfim...um anti-fascista convicto.

Mais um médico com grande aptidão para as Letras.

Um abraço, Ana Marta.

Jorge P.G.

looking4good disse...

Pois é. O 25 de Abril está aí a comemorar mais um ano e já vão 34!. Infelizmente alguém só encontra nele um feriado ... e está esquecido o significado (também para a maioria dos políticos!).

Carla disse...

Há gritos que não se podem calar
beijos

EDUARDO disse...

E viva a LIBERDADE!!
Beijinho em soltura

Sophiamar disse...

Tenho tido dificuldade em entrar nos teus coment�rios. Consegui-o agora e fiquei feliz por isso. Gostei muito do poema. O tema que evoca � daqueles que me empolga e sempre empolgar�. Quem sentiu o amargo sabor da ditadura jamais deixar� de clamar pela Liberdade.

Beijinhossss

Jorge P.G Sineiro disse...

Olá, Ana Marta:

Não é por vezes fácil que a página dos comentários abra, realmente.
temos que ter paciência e esperar, insistir, às vezes sair e entrar de novo. Penso que seja um problema do próprio Blogger que às vezes, me dá asensação de estar muito sobrecarregado, mas eu não sou entendedor destas coisas.

Como não há novo artigo, deixo apenas um abraço, hoje.
Jorge P.G.

Jorge P.G Sineiro disse...

Olá, Ana Marta:

Não é por vezes fácil que a página dos comentários abra, realmente.
temos que ter paciência e esperar, insistir, às vezes sair e entrar de novo. Penso que seja um problema do próprio Blogger que às vezes, me dá asensação de estar muito sobrecarregado, mas eu não sou entendedor destas coisas.

Como não há novo artigo, deixo apenas um abraço, hoje.
Jorge P.G.