terça-feira, 24 de junho de 2008

JOSÉ

afternoon delight

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

Carlos Drummond de Andrade

Fotografia: Bianca Van Der Werf

9 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Carminda Pinho disse...

Ana,
tal como o José do lindíssimo poema de Carlos Drummond de Andrade, também nós, por vezes, "caminhamos" sem saber para onde ir...

Beijos

peciscas disse...

Só apetece gritar:
- ACORDA JOSÉ!

mundo azul disse...

Nossa! Esse poema é maravilhoso!
Fazia tempo que não o lia...
Beijos de luz e uma tarde feliz!!!

Sophiamar disse...

anamarta

a poesia tal como o mar é uma das minhas paixões. Tenho muitas mais pois sou uma mulher que está de bem com a vida e ao ler este poema, lindíssimo, apetece-me agarrar o José, sacudi-lo, acordá-lo para a vida.
Excelente escolha !

Beijinhos, amiga!

p.s. Às vezes tenho dificuldade em entrar no teu blog.

Isabel-F. disse...

Não conhecia ...


é uma maravilha este poema ...


bjs

Jorge P.G disse...

O Drummond de Andrade é um dos meus poetas preferidos. Canta a vida e as vidas das pessoas de forma admirável, quanto a mim.

Bonita, a imagem escolhida.

Um abraço.

Carla disse...

como comentar quem escreve com esta beleza?
beijos adoro C. Drummond de Andrade

elvira carvalho disse...

Drummond de Andrade é um dos meus três Deuses da poeia Brasileira.
Vinicius de Morais, e Osvaldo Montenegro são osa outros dois.
E não é este José o simbolo da Humanidade?
Um abaço e bom fim de semana