sexta-feira, 3 de julho de 2009

Pusemos tantos sonhos em seu nome!

2717597

Vimos o mundo aceso nos seus olhos,
E por os ter olhado nós ficámos
Penetrados de força e de destino.
.
Ele deu carne àquilo que sonhámos,
E a nossa vida abriu-se, iluminada
Pelas imagens de oiro que ele vira,
.
Veio dizer-nos qual a nossa raça,
Anunciou-nos a pátria nunca vista,
E a sua perfeição era o sinal
De que as coisas sonhadas existiam.
.
Vimo-lo voltar das multidões
Com o olhar azulado de visões
Como se tivesse ido sempre só.
.
Tinha a face voltada para a luz,
Intacto caminhava entre os horrores,
Interior à alma como um conto.
.
E ei-lo caído à beira do caminho,
Ele - o que partira com mais força
Ele - o que partira pra mais longe.
.
Porque o ergueste assim como um sinal?
Pusemos tantos sonhos em seu nome!
Como iremos além da encruzilhada
Onde os seus olhos de astro se quebraram?
.
.
Sophia de Mello Breyner

Imagem: http://olhares.aeiou.pt/por_sete_mares_foto2717597.html

7 comentários:

Maria disse...

Eterna Sophia!
Obrigada!

Beijo

peciscas disse...

Tantos sonhos que pusemos sobre Abril e ei-lo caído à beira do caminho.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Beijos

elvira carvalho disse...

Tantos sonhos de juventude, fui deixando cair na berma da estrada da vida. Chegamos a um ponto que os ombros se vergam ao peso dos sonhos e temos que ir deixando cair.
Um abraço e uma boa semana

A. João Soares disse...

VAMOS LIMPAR PORTUGAL

Sugere-se uma visita ao blog Sempre Jovens, a leitura do post VAMOS LIMPAR PORTUGAL e a sua divulgação o mais alargada possível.

Portugal precisa que todos os cidadãos exerçam o seu dever de cidadania e de civismo, sempre e mais precisamente em 8 de Novembro.

Cumprimentos
João Soares

lagartinha disse...

Lindo poema, para não variar...
Beijocas

samuel disse...

Que coisa bonita!

Abreijo.