segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Abandono

images

Por teu livre pensamento
Foram-te longe encerrar
Tão longe que o meu lamento
Não te consegue alcançar
E apenas ouves o vento
E apenas ouves o mar

Levaram-te a meio da noite
A treva tudo cobria
Foi de noite numa noite
De todas a mais sombria
Foi de noite, foi de noite
E nunca mais se fez dia.

Ai! Dessa noite o veneno
Persiste em me envenenar
Oiço apenas o silêncio
Que ficou em teu lugar
E ao menos ouves o vento
E ao menos ouves o mar.

David Mourão-Ferreira

1 comentário:

Cata- Vento disse...

Um poema do meu querido Professor David Mourão-Ferreira que me traz à memória tempos muito tristes em que os jovens, agrilhoados pela censura não podiam usar a liberdade de expressão sem que fossem parar às masmorras da Pide onde tinham por companhia o mar e o vento.
Sempre muito bem escolhido o tema que nos trazes.

Bem-hajas!

Beijinhos