segunda-feira, 14 de abril de 2008

Canto Moço

Somos filhos da madrugada
Pelas praias do mar nos vamos
À procura de quem nos traga
Verde oliva de flor no ramo
Navegamos de vaga em vaga
Não soubemos de dor nem mágoa
Pelas praias do mar nos vamos
À procura da manhã clara

Lá do cimo duma montanha
Acendemos uma fogueira
Para não se apagar a chama
Que dá vida na noite inteira
Mensageira pomba chamada
Companheira da madrugada
Quando a noite vier que venha
Lá do cimo duma montanha

Onde o vento cortou amarras
Largaremos pela noite fora
Onde há sempre uma boa estrela
Noite e dia ao romper da aurora
Vira a proa minha galera
Que a vitória já não espera
Fresca brisa, moira encantada
Vira a proa da minha barca.

Zeca Afonso

Fotografia: Net

14 comentários:

Vieira Calado disse...

Copiei estes versos.
Nunca os tinha lido, assim, por inteiro.
Obrigado.

Beijinhos

Carminda Pinho disse...

Ana Marta
Evocar Zeca Afonso é ter Abril a cantar dentro do peito.

Beijos

Isabel-F. disse...

por onde pára o Abril que o grande Zeca cantou????


beijinhos

Carla disse...

porque recordar é preciso, porque Abril ainda não está conquistado...uma bela escolha
beijos

peciscas disse...

Tive o privilégio de participar num programa de rádio, aqui no Porto, onde foi lançado o album em que se incluia esse inesquecível Canto Moço, que se transformou numa espécie de hino da minha juventude de resistência.

Sophiamar disse...

Zeca será sempre um símbolo da Liberdade, da Igualdade, da Justiça.Não deixemos partir o que tanto custou a conquistar.
Mil cravos rubros de esperança e sonho.
Bem Hajas!


p.s. Tenho tido dificuldade em entrar no teu blogue. Felizmente tudo está resolvido.

Ferroadas disse...

Cara amiga

Dei por cá uma olhada e gostei. Venho mais vezes, se me permites vou colocar um link no "ferroadas".

Entretanto covidava-te a fazeres parte do nosso grupo blogosférico, que frequentemente se junta para além de jantar ou almoçar, se fala desta política e destes políticos que nos estão a enviar para o abismo, trocamos experiências e ideias.

No "ferroadas" tens um link para te inscreveres.

Abreijos

meg disse...

Aos amigos comunico que, inesperadamente,
fui obrigada a mudar de residência.
Espero-vos a partir de agora em
Peço desculpa pela forma como o faço
mas se trata de uma emergência que
espero seja a última.
Aproveito para mandar um abraço do
vosso Amigo Romério para todos


E a Meg espera-vos aqui a partir de agora

http://recalcitrantemor.blogspot.com/

Isabel-F. disse...

passei por aqui ...


fica um beijinho

Jorge P.G Sineiro disse...

Esta canção do Zeca traz-me uma recordação engraçada.
Uma noite, em que foi cancelada pela Pide uma sessão de cantigas com o Zé Afonso e outros, numa casa na própria António Maria Cardoso(!), passámos depois em grupo pelos pides à porta da sede, cantando-a em grupo.
Era malta jovem entre os 16/17 e os 20 e tais... mas estes já universitários e bem conscientes politicamente.

Um abraço, Ana Marta.
Jorge P.G.

Fernando Santos (Chana) disse...

Grande canção de Zeca Afonso...Espectacular !
Beijos

cõllybry disse...

Recordo estes belos versos com saudade desse Ser que lutou pelo Povo, Eterno Zeca Afonso...

Doce meu beijo

Sophiamar disse...

Zeca Afonso será inesquecível. Símbolo de Abril, o andarilho da Liberdade é cravo rubro no meu coração.

Beijinhos

Ludo Rex disse...

Somos filhos da madrugada, à procura da manhã clara... Liberté, Egalité, Fraternité!
Kiss