sábado, 10 de maio de 2008

AR LIVRE

window with the view

 

Ar livre, que não respiro!

Ou são pela asfixia?

Miséria de cobardia

Que não arromba a janela

Da sala onde a fantasia

Estiola e fica amarela!

 

Ar livre, digo-vos eu!

Ou estamos nalgum museu

De manequins de cartão?

Abaixo! E ninguém se importe!

Antes o caos que a morte...

De par em par, pois então?!

 

Ar livre! Correntes de ar

Por toda a casa empestada!

(Vendavais na terra inteira,

A própria dor arejada,

- E nós nesta borralheira

De estufa calefetada!)

 

Ar livre! Que ninguém canta

Com a corda na garganta,

Tolhido da inspiração!

Ar livre, como se tem

Fora do ventre da mãe

Desligado do cordão!

 

Ar livre, sem restrições!

Ou há pulmões,

ou não há!

Fechem as outras riquezas,

Mas tenham fartas as mesas

Do ar que a vida nos dá!

 

Miguel Torga (1907-1995) "In De Palavra Em Punho"

Fotografia : Andrzej Radka

11 comentários:

Ludo Rex disse...

Ar livre, Amiga. Ar livre...
Kiss e Bom Fim de Semana

Carminda Pinho disse...

Ainda bem que passei por aqui Ana, respirei deste ar livre e, fiquei bem melhor.:)

Beijos

Sophiamar disse...

Um poema de alguém que não passou pela vida de forma indiferente aos conflitos sociais e económicos que em torno de si giravam. O poeta da terra, daquela que dá o pão regado com o suor e as lágrimas de quem a trabalha.

E a riqueza continua tão mal distribuída!

Beijinhossss

Bom fim de semana!

Jorge P.G disse...

ANA MARTA:

Eu já nem sei o que mais dizer de Miguel Torga, senão que ele é um dos meus 2 poetas preferidos juntamente com Pessoa.

Este poema é um monumento.

Obrigado por mo recordar, há tanto que o não lia!

Um abraço.
Jorge P.G.

Jorge P.G disse...

Desculpe, Ana, mas sou de novo.
É que me esqueci de falar da excelente imagem escolhida, algo que considero essencial num blogue.
Mais uma vez, a escolha foi muito boa.

E quando não gostar, também digo, ok? rrsss.....

Um abraço para si.

E viva o ar puro e livre!

peciscas disse...

Volta Torga, volta a fazer ouvir a tua voz, a fazer ecoar o teu grito de revolta.

E que bem sabe ficar por aqui o Camané!Cada vez melhor!

EDUARDO disse...

"antes o caos que a morte"

poderosa!! Um beijao amiga Marta :-)

Edu

Paradoxos

Rui Caetano disse...

Um bom fim de semana.

Sophiamar disse...

Passei pela manhã para te desejar um bom domingo e, claro, reler o que escreveste.
Hoje é dia de saída. Quanto ao Sophiamar vai estar parado por uns tempos. Eu andarei por aí. Virei ler-te e comentar-te.

Deixo-te mil beijinhos

elvira disse...

Vim agradecer a visita, ao meu cantinho e conhecer o seu blog. Fiquei logo encantada com a espectacular imagem. Depois o poema é um bom e belo poema, como quase todos os do Miguel Torga. Este eu não conhecia.
Resto de bom Domingo, e um abraço

LopesCa disse...

O Ar livre dá energia :)