terça-feira, 6 de maio de 2008

Apesar das ruínas e da morte

saltwick bay sunset

Apesar das ruínas e da morte,
Onde sempre acabou cada ilusão,
A força dos meus sonhos é tão forte,
Que de tudo renasce a exaltação
E nunca as minhas mãos ficam vazias.


Sophia De Mello B. Andresen


Fotografia:Paul Kent

9 comentários:

Jorge P.G disse...

Espantosa a força desta mulher, para mim, a maior poetisa portuguesa!

Lindíssima a imagem seleccionada.

Um abraço, Ana Marta.
Jorge P.G.

Odele Souza disse...

Lindo Anamarta, lindo!!

Um beijo.

Ludo Rex disse...

A força dos sonhos é sempre forte. O sonho comanda a vida, não esqueçamos isso...
Kiss

Carminda Pinho disse...

Só a força dos sonhos, nos vão embalando, dia a dia...

Bjs

peciscas disse...

Temos de continuar a acreditar na força dos sonhos, que num dia claro e luminoso sonhámos e que, por força, terão de renascer.

Sophiamar disse...

Que a força dos nossos sonhos jamais nos deixe de mãos vazias.

Deixo-te beijinhos com amizade.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Anamarta, poema espectacular...Bela imagem !
Beijos

Carla disse...

nunca a beleza te deixará de mãos vazias
bom fim de semana
beijos

A. João Soares disse...

Que os sonhos nunca morram. Devem ser alimentados e colocados em prática, com dotes de planeamento, organização e programação, a fim de a sua concretização seja o mais perfeita possível com os melhores efeitos. Um sonho deixado entregue a fantasias, raramente se concretiza com a inicial pureza de intenções.
Que as nossas vidas sejam comandadas pelos mais belos sonhos, são os votos a todos os que visitam e comentam este belo blogue.
Abraço
A. João Soares