sábado, 3 de maio de 2008

Soneto

x1pjzF2-RYhxRUGWnAkL8VnU9UfhifG0dLi.gif TRISTEZA image by karinajachim

É preciso saber porque se é triste
É preciso dizer esta tristeza
Que nós calamos tantas vezes mas existe
Tão inútil em nós tão portuguesa.


É preciso dizê-la é preciso despi-la
É preciso matá-la perguntando
Porquê esta tristeza como e quando
E porquê tão submissa tão tranquila.


Esta tristeza que nos prende em sua teia
Esta tristeza aranha esta negra tristeza
Que não nos mata nem nos incendeia


Antes em nós semeia esta vileza
E envenena o nascer de qualquer ideia.
É preciso matar esta tristeza.
 
Manuel Alegre, Praça da Canção, 1965 
Foto: Net
  

5 comentários:

Ludo Rex disse...

Matemos essa tristeza e Lutemos...
Boa escolha. Kiss e Bom Fim de Semana

EDUARDO disse...

Há que banir a tristeze e deixar entrar a esperança e a boa disposição pra enfrentar as disposições menos dispostas. Um beijo terno querida amiga

Isabel-F. disse...

Oi Anamarta,

Bom dia.

è lindo este poema ... não o conhecia ...

olha ... tenho um recado da Odele para ti ... ela disse-me que há dias que tenta entrar no teu blogue para comentar e não consegue ... pois anda com problemas de conexão ...

beijinhos e bom fim de semana

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Anamarta, belo poema...Espectacular !
Beijos

Jorge P.G Sineiro disse...

E a tristeza se matou, em 1974, para agora parecer que regressa, mais dorida e ainda mais triste, porque desiludida e revoltada vai a nossa gente.

Um abraço e bom fim-de-semana.