sábado, 7 de junho de 2008

Porque será que desejo

Bola

Porque será que desejo

aquilo que não preciso?

Por que a alma um fogo tem,

Quente, abstracto cobiço,

Que só busca o mais além!

 

Porquê, senão p'la razão

Da alma só alma ser?

Quando em seu todo ocultada,

Quem pode a causa saber

Em [suas] leis disfarçada?

 

Mas isto não interessa.

O que importa é o sofrer

e a tensão que provém

De o pensar já predizer

Que o que se quer não se tem.

 

Fernando Pessoa "IN Poesia Inglesa II, tradução de Luisa Freire"

8 comentários:

Jorge P.G disse...

Este poema não conhecia. Mas, ao ir lendo, logo adivinhei o nome do autor. Inconfundível e inimitável!

Um abraço e um óptimo fim-de-semana, Ana Marta.

Camane4ever disse...

Viva! Estou a ruer de inveja! :) Quem me dera ter sido eu... Enfim... Bom fim-de-semana! Bj

viajante disse...

PESSOA, sempre presente.

Sophiamar disse...

Bem-hajas, anamarta. A tua amizade, disponibilidade, solidariedade foram muito importantes. Conta sempre comigo.
Logo que possa entrarei em contacto contigo.

Beijinhos mil

Quanto ao poema, já sabes, Pessoa é Pessoa e tu tens um gosto muito especial.

Bom domingo!

peciscas disse...

O sempre profundo Pessoa.
E uma belissima imagem.

samuel disse...

Inesgotável!

Abreijos

elvira carvalho disse...

Não conhecia o poema. Mas gostei. E gostei da imagem a lembrar um tunel do tempo. Quem dera que fosse e eu a ele tivesse acesso...
Sabe Marta, hoje é um dia especial. Os parabéns que estão no Sexta deveriam ser para a minha mãe. Mas a insanidade dela dói-me tanto. que nem tenho coragem de lhe dar os parabéns. Então ficou assim mesmo.
Um abraço e tenha um bom Domingo...

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Anamarta, bela imagem...Excelente texto...
Beijo