terça-feira, 10 de junho de 2008

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades






















Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.


Luís de Camões

7 comentários:

Jorge Cardoso disse...

adoro Camões!

obrigada por este espaço.

beijinho e continua...

Sophiamar disse...

" O tempo cobre o chão de verde manto..." mas já não me cobre a alma nem a esperança se me assoma ao pensamento.
Entre o futuro que queremos e o que está a ser construído há uma abissal diferença.

Tens um excelente bom gosto! Imagem e poema lindíssimos!

Beijinhos

Bem hajas!

Carminda Pinho disse...

Ana,
mas que coincidência realmente, o facto de entre tantos poemas do grande Camões, termos escolhido ambas o mesmo para postar, neste dia especial para Portugal.

É uma questão de bom gosto, não achas? :)))

Bom feriado!

Beijos

ELISABETECUNHA disse...

ANAMARTA

Agradeço muito o carinho por mim querida!

elisabetecunha2008.wordpress.com

peciscas disse...

Mudam-se os tempos, mas nem sempre as vontades.
Olha que o Cavaco ainda fala no "Dia da Raça"...

elvira carvalho disse...

Todo o mundo é composto de mudança.

Só não era suposto que a mudança fosse para pior. A nível de clima, a nivel de governo ou desgoverno.
Um abraço
Ah! Dia de Portugal, virou dia da Raça, Hitler começou assim.
Um abraço

Jorge P.G disse...

Este é um soneto eterno! Um monumento da Literatura portuguesa!

Deixo o meu abraço, atrasado por motivos que a Ana Marta conhece.

Jorge P.G.