quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

NATAL

 Diapositivo4

Acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.
Era gente a correr pela música acima.
Uma onda uma festa. Palavras a saltar.

Eram carpas ou mãos. Um soluço uma rima.
Guitarras guitarras. Ou talvez mar.
E acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.

Na tua boca. No teu rosto. No teu corpo acontecia.
No teu ritmo nos teus ritos.
No teu sono nos teus gestos. (Liturgia liturgia).
Nos teus gritos. Nos teus olhos quase aflitos.
E nos silêncios infinitos. Na tua noite e no teu dia.
No teu sol acontecia.

Era um sopro. Era um salmo. (Nostalgia nostalgia).
Todo o tempo num só tempo: andamento
de poesia. Era um susto. Ou sobressalto. E acontecia.
Na cidade lavada pela chuva. Em cada curva
acontecia. E em cada acaso. Como um pouco de água turva
na cidade agitada pelo vento.

Natal Natal (diziam). E acontecia.
Como se fosse na palavra a rosa brava
acontecia. E era Dezembro que floria.
Era um vulcão. E no teu corpo a flor e a lava.
E era na lava a rosa e a palavra.
Todo o tempo num só tempo: nascimento de poesia.

Manuel Alegre

13 comentários:

samuel disse...

Tenho que redobrar o esforço para continuar a separar o que ele escreve... de tudo resto.

Abreijo

Lurdes disse...

Esta imagem é linda!!!!!
BOAS FESTAS!!!!!!
Beijinhos

CARLOS VEIGA disse...

Mesmo a propósito...
Parabéns pela escolha, gosto muito de Manuel Alegre.
Desejo um feliz natal para si ANAMARTA!
beijos!

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Ana, bela imagem...Belo poema de Alegre...Espectacular...
Beijos

Sophiamar disse...

Lindíssimo poema. Li-o e reli-o.
Continuo a admirar a sua escrita. Há muito mais de quarenta anos.

" E era Dezembro que floria!"
Que Dezembro permaneça 12 meses no calendário e nos nossos corações.

Beijinhos, amiga!

Bom Natal! Saúde, alegria, amor, amizade, paz e pão na mesa.

Mário Relvas disse...

Que o Natal seja amigo e solidário.

Que o ano de 2009 conserve a saúde, a amizade e a capacidade de acreditar e continuar a esperança.

Mário Relvas e família

Ricardo disse...

Muito bom texto! :)

Beijo

peciscas disse...

Os textos do Manuel Alegre da minha juventude continuam a ser uma referência para mim.
Ainda um destes dias li algo que ele escreveu sobre um Natal em Paris, no exílio.Belíssimo.
É preciso não esquecer que há natais e Natais.

huga katia disse...

Amei seu blog,
voltarei mais vezes!!
bjus!

Sophiamar disse...

Desejo-te um Natal cheio de saúde, amizade, pão na mesa, harmonia, amor...
Que o Ano Novo te traga tudo quanto desejas.

Mil beijinhos

LopesCa disse...

Sempre com muito bom gosto :)
P.S.- Também estou a voltar lentamente.

Meg disse...

Anamarta,
Este é mais um belíssimo poema de Manuel Alegre que dispensa comentários.

Desejo-te um BOM NATAL e que 2009 te traga a concretização de todos os teus sonhos!

Beijo de FESTAS FELIZES!

Meg

mundo azul disse...

___________________________________


É um poema lindo!

Obrigada...


Beijos de luz, o meu carinho e um

FELIZ ANO NOVO!!!

__________________________________