quarta-feira, 7 de abril de 2010

Liberdade

liberdade-tr

– Liberdade, que estais no céu…
Rezava o padre nosso que sabia
A pedir-te, humildemente,
O pão de cada dia.
Mas a tua bondade omnipotente
Nem me ouvia.

– Liberdade, que estais na terra…
E a minha voz crescia
De emoção.
Mas um silêncio triste sepultava
A fé que ressumava
Da oração.

Até que um dia, corajosamente,
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
Saborear, enfim,
O pão da minha fome.
– Liberdade, que estais em mim,
Santificado seja o vosso nome.

Miguel Torga

Imagem: http://images.google.pt/

8 comentários:

peciscas disse...

Nessa religião me revejo.
Santificada e permanente seja a liberdade.
Amén!

Isamar disse...

Torga nunca se deixou vergar pela ditadura.Não deixemos nós que alguma vez a censura volte a calar-nos.
Gritemos bem alto pela Liberdade que Abril nos legou.

Bem-hajas!

Beijinhos

elvira carvalho disse...

Cada vez mais actual, mais necessário.
Um abraço e bom fim de semana

looking4good disse...

Obrigado pela visita e comentário a propósito do 5º. anioversário do Nothingandall. E venho logo aqui encontrar a poesia de Miguel Torga! Torga, Eugénio de Andrade e Pessoa, os três meus autores favoritos... Um bom fim de semana com flores, sorrisos e ...poesia!

Meg disse...

Anamarta,

Finalmente de volta ao convívio dos amigos, passado que foi o pico do Verão, eis que me encontro com Miguel Torga, poeta da minha ternura.
Para ele já não tenho mais palavras... ele dispensa-as.

Um beijo para ti

Maria disse...

Nem de propósito... ouvi este poema hoje de manhã e ia (já não vou) procurá-lo (porque o encontrei aqui).
E vinha eu dizer-te que sei que estiveste na Festa, quem sabe se para o ano não nos encontramos, mesmo...

Um beijo
(e vou levar Torga comigo)

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo poema...Espectacular....
Beijos

Vieira Calado disse...

Muito bem escolhido

à aproximação do 25 de Abril.

Beijinho