quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Pela Estrada da Vida

Apresentação6

Quando o horizonte se confundir com o sol poente

Quererei saber que a Minha Estrada é um estuário

Onde memórias lindas se cruzam com as veredas

Dos sonhos que pintei com as cores do Arco-Íris.

Quando esse longínquo longe chegar

Quererei saber que o mereci

Porque o construí por entre dúvidas, certezas

Alegrias, tristezas e luta tanta luta

Porque nele acreditei e o moldei

Com as minhas mãos

Sem me vergar Sempre de pé.

 

Ana

12 comentários:

elvira carvalho disse...

Gostei. O Blogger continua a dar-me a sua última actualização há um ano.
Um abraço e uma boa semana

lagartinha disse...

Passei para deixar uma beijoca a correr, antes que a net se vá de novo...

Vieira Calado disse...

Tanta luta, a nossa!

Mas sempre de pé como as árvores!

Bjs

peciscas disse...

Tu mereces o melhor.
Porque tens valores, acreditas e lutas por eles.

Nota- com o Blogger não consigo abrir o teu espaço. Só com o Mozilla.

Nelson Ricardo disse...

O poema está fenomenal, a luta está presente em todos os aspectos da nossa vida, pois só a luta abre as portas às melhore coisas que ela tem.

Espero que continues a postar.

O teu blog já está linkado no meu.

LopesCa disse...

E lá vamos andando :)

Maria disse...

Como deve ser. Quem É. Sempre...

Beijo

lagartinha disse...

Ainda ando por cá...
bjs

amigona avó e a neta princesa disse...

E que seja sempre um longa estrada...

Vieira Calado disse...

Olá, bom dia!
Acabo de postar o endereço do seu blog,
numa lista de amigos que recentemente publicaram poemas meus,
ou à minha poesia se referiram.


Muito obrigado.

O Profeta disse...

Não sei quem vence!
Não sei quem leva a melhor
Só sei que um sorriso teu
Fez desabrochar das pedra uma flor

Com ela teci um tapete
Engalanei a sombra dos teus passos
Escrevi um derradeiro pedido numa pétala
Rogando a infinita ternura dos teus abraços



Doce beijo

fj disse...

A vida é recheada entre outras coisas de dúvidas e certezas, condimentada com Alegrias, e Tristezas.
Bela poesia.

beijinhos Ana